Descartável

Taí uma palavrinha que eu detesto. É como se fosse uma agressão verbal ao planeta. Quando surgiram os descartáveis devem ter feito um sucesso tremendo, como fazem até hoje, mas agora, já incorporados aos nossos hábitos diários, passam quase despercebidos. Pense no conceito do descartável: usar uma vez e jogar fora. Prático, né? Agora pense pra onde vai esse lixo? Os países de primeiro mundo já estão tentando exportá-lo, uma transferência geográfica e político-administrativa do problema, longe de ser uma solução…
Planeta lixo
Imagine uma festinha de aniversário. Já fez uma? Já ficou até o final? Percebeu a quantidade de lixo gerada pra comemorar mais um ano de vida? Agora imagine quantas festinhas são organizadas diariamente planeta a fora. São diferentes anos de vida comemorados. E alguns anos a menos para o planeta. Você pode alegar que fazer uma festa sem descartáveis é impossível, eu respondo que é difícil, menos prático, mas absolutamente viável. Já fiz várias. Você ainda pode alegar que aniversário é só uma vez por ano, tudo bem. Mas pense no coquetéis, inaugurações, vernissages…
Enquanto os aniversários acontecem uma vez ao ano, cafezinho e água nos escritórios são diários. E muitas vezes por dia. Muitas empresas estão adotando canecas individuais. Pense na economia, não para a empresa, mas para a saúde do meio ambiente. Mas e se não tiver canequinha? Como já disse não sou radical e confesso que eventualmente acabo precisando usar um copinho descartável… Quando isso acontece seguro ele comigo e reutilizo por quantas vezes forem possíveis, enquanto estiver nesse lugar. Gosto de pensar em cada copo que estou economizando. São muitos.
Algumas pessoas pensam que essas atitudes não fazem diferença, que uma só andorinha não faz verão. A essas pessoas digo: as andorinhas estão se reproduzindo e quando chegar o inverno do planeta, juntas elas saberão como sobreviver. No mais é uma questão de perspectiva: o copo pela metade é meio cheio ou meio vazio? Você escolhe.
Deixando os copos de lado transfira esses conceitos pra outros descartáveis do dia-a-dia e a coisa começa a fazer mais sentido. Sacolinhas de supermercado são um caso a parte, trataremos disso depois. Garrafas de água mineral, embalagens individuais, entre tantos outros merecem alguma atenção. Confesso que tenho uma crise com o descartável: reconheço que eles são necessários a assepsia de um ambiente hospitalar, por exemplo. Sou massoterapeuta e muitas vezes preciso utilizar lençóis descartáveis, um sofrimento para o qual ainda não cheguei a uma conclusão.
O conceito de descartável foi tão assimilado pela nossa sociedade que o trasferimos para a cultura, as relações, os conhecimentos. Tudo passando por nossas vidas na velocidade da internet. Solução? Não conheço, nem fui apresentada. O que vale é a consciência e a tentativa de fazer diferente a cada dia.

3 thoughts on “Descartável

  1. E agora??? A natureza já pede socorro…

    Vamos aí gente, concientizar todos do nosso lado…um dia chegamos lá…

    beijos…

  2. A Andança

    Andando de blog em blog adentrei o “Áspera Seda”, onde o bom Michel luta contra o anonimato com sua poesia musicada. Ali vi a sua imagem e então decidi convidar. E por que não lhe convidaria a conhecer “O Sr. e o Dr.”.?
    Espero que você, tendo um tempinho, o aprecie.
    Um grande abraço, minha gratidão antecipado e o sincero desejo de um ótimo feriado pra você, Kamala.

    Abraço do Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com que também luta.

  3. HOLA, BONITA

    EN POCAS HORAS LLEGA EL DÍA DEL SER MÁS ADORABLE Y EXTRAÑO DEL MUNDO; O SEA TU DÍA, MUJER…
    ASÍ Q’ ¡¡¡FELIZ DÍA, BELLEZA INEXPLICABLE!!!
    UN BESO 😡

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *