El Nagual

A Ecovila El Nagual foi uma bela surpresa no meu caminho! Eu estava indo fazer um curso de Captação Empoderada de Recursos, um aprofundamento do Dragon Dreaming, já sabia que era em uma ecovila, mas só quando cheguei lá percebi que era o meu primeiro Destino Sustentável!
.
Localizada em Santo Aleixo, interior do Rio de Janeiro, a pouco mais de uma hora da capital, foi fundada por Eraldo e Mariana, um casal que após rodar o mundo encontrou seu refúgio nesse recanto pouco conhecido no entorno no Parque Nacional da Serra dos órgãos. Inicialmente construiram uma pousada,  mas sempre se preocuparam com a preservação da natureza e com a integração social com a comunidade local.  Há cerca de dois anos decidiram transformar a pousada em ecovila e desde então vêem trabalhando no desenvolvimento sustentável do local.
.
A autonomia energética é uma das maiores prioridades da ecovila. Já contam com um biodigestor, que transforma o esgoto em biogás (de duas a quatro horas por dia) e biofertilizante (utilizado na plantação), placas solares, para o aquecimento da água e uma minihidrelétrica que produz 200 kWh de energia elétrica, o suficiente para manter a geladeira, o freezer e mais algumas lâmpadas!
.
A produção de alimentos é outro dos focos principais. Grande parte do que é consumido pelos moradores e visitantes já é produzida nas terras de El Nagual. Frutas, legumes, hortaliças, ervas e tempeiros são o forte da casa. Não há animais, nem mesmo para a produção de leite ou ovos. Os cuidados se estendem ao preparo e consumo dos alimentos, com a colaboração e participação de todos os presentes.
.

.

 A gestão de resíduos também recebe atenção especial. O lixo orgânico vira composto, o material trazido pelo rio também. Todo o vidro é reaproveitado no Ateliê da Mariana e vira artesanato, contribuindo para a sustentabilidade econômica da ecovila. Todo o resto é reaproveitado ou encaminhado para reciclagem. Como senão bastasse cuidar dos próprios resíduos, Eraldo costuma recolher material reaproveitável descartado inconsequentemente por outros habitantes do vilarejo.
.
El Nagual é uma ecovila pequena, mas bastante ativa. Frequentemente são oferecidos cursos relacionados à permacultura, bioconstrução, promoção da saúde, alimentação e crescimento pessoal e profissional. É possível visitar, passar alguns dias ou alugar um espaço para morar. As instalações são rústicas, mas bastante confortáveis e o acesso é fácil e seguro. Ficou curioso? O que vc está esperando? Visite El Nagual!
.
Veja essa matéria dobre a ecovila feita pela TV Brasil!
.

Couchsurfing

Como já comentei aqui o couchsurfing é uma das melhores opções pra se hospedar sem custo, quando você não tem um amigo na cidade. Essa é uma das alternativas que pretendemos usar na viagem, por isso decidi testar como anfitriã! Apresento a vocês Julien e Natália, meus primeiros couchsurfers! Ele é francês e iniciou sua viagem em setembro de 2010, usando somente carona para o transporte e couchsurfing para hospedagem, porque acredita que essa é uma das melhores formas de conhecer as pessoas e os lugares. Atravessou o Atlântico em um veleiro, visitou o Caribe e chegou ao continente Americano pela Flórida. Depois foi para o Alaska e desceu as Américas até a Antartida…
Na passagem por Valparaíso Julien foi hospedado por Natália, que por sua vez já havia dado umas voltinhas pelo globo. Papo vai, papo vem, Julien foi e os papos continuaram pela internet até que Naty foi encontrá-lo em Ushuaia e seguiram juntos desde então. Os dois são viajantes ambiciosos e seu roteiro é só de ida. Passarão mais alguns meses no Brasil e depois seguem de carona (de veleiro) até a Nova Zelândia, de onde vão para a Austrália passar um tempo trabalhando para financiar a próxima viagem. Se eles conseguem, por que você não? Sim amigos, é possível, basta querer! Para saber mais sobre a aventura desse casal sigam a página da Ruta Pachamama no Facebook.

Escola com Asas

Receber pessoas (ou me hospedar na casa delas) é tão natural pra mim quanto receber uma visita pro jantar. Adoro viajar e sempre que possível opto por me hospedar em casas de amigos, gosto de conhecer a vida cotidiana dos lugares por onde passo. Por outro lado sempre morei em lugares lindos e hospedei muitos amigos e amigos de amigos, um ou outro conhecido e recentemente tenho me aberto para o desconhecido. Tenho tido surpresas incríveis! Recebi uma família nômade de cinco pessoas, que viraram amigos de infância em poucas horas. Esse é o motivo da minha relativa ausência nas últimas semanas: estava vivendo tão intensamente que não tive tempo para escrever!
É engraçado como pensamos controlar a vida, as metas os prazos, mas volta e meia a vida nos surpreende, confunde nossas metas e chuta os prazos pra longe… Isso é o que eu costumava experimentar na minha rotina, mas estou (re)descobrindo que, quando alinhamos nossa existência com nossos sonhos, mágicas e pequenos milagres acontecem. Quando me dei conta a viagem já havia começado, antes da partida! Como pode isso? Foi uma família que passou voando em minha vida!
Eu os conheci através de um de seus projetos a Escola com Asas uma rede de livre aprendizagem com uma proposta interessante e realmente libertadora. Naquele momento eles estavam prestes a iniciar um outro projeto, o Buscamos o Paraíso. Entrei pra Escola com Asas e tive a certeza de que tinha que encontrar esses cinco pelo caminho, em algum Destino Sustentável Paradisíaco. Poucas semanas depois fiquei sabendo que eles estariam no Rio de Janeiro!
Eles buscam o paraíso na terra, em cada cidade que passam, em cada lar, em cada nova amizade. Oferecem oficinas e acessoria no desenvolvimento de empreendimentos sociais, criação de sites, entre muitas outras coisas, em troca da organização de sua estadia e dos eventos autogerida pelas pessoas dos lugares visitados. As experiências são registradas em vídeos que irão compor um documentário ao final da jornada.
Parece simples, não? E é! Não acredita? Siga o rastro recente dos projetos criados nos últimos lugares pelos quais passaram: em Guaratinguetá, interior de São Paulo, conheceram a Taís, o Chris, o Davizinho e a terra perfeita para realizar o projeto Tekaporan, a terra prometida, uma Ecovila que agrega uma ou duas dezenas de pequenos projetos inovadores. Já no Rio de Janeiro conheceram Ananda que quer ir pra Cabo Verde o que produziu uma reação em cadeia que está levando a Escola com Asas pra Cabo Verde, África. Enquanto isso eu e Kaiuá vamos levar a Escola com Asas pelo Brasil, ao encontro de um Destino Sustentável. E aí, se insPirou?