Chocolate Tiwá

Hoje é domingo de Páscoa e não há cristão ou ateu que resista a um bom chocolate! Me incluo nesse grupo, sou chocólatra assumida! Controlada, mas assumida! Mas o que seria um bom chocolate? Você acha que todos são bons? Doce ilusão…

Em um mundo onde o lucro a qualquer custo é a prioridade absoluta, a Indústria do chocolate não fica pra trás. Utiliza fórmulas que reduzam os custos, mesmo que isso signifique substituir os ingredientes por outros com baixíssimo ou nenhum valor nutritivo, como a gordura hidrogenada, por exemplo. Entretanto o baixo valor nutricional e as consequências para sua saúde não são a única questão aqui.

Essa mesma indústria busca matéria prima de baixo custo, proveniente em sua maioria da Costa do Marfim, o que quase sempre significa condições de trabalho indignas para os lavradores, incluindo trabalho escravo infantil. Você já pensou trabalhar uma vida inteira colhendo cacau e nunca ter experimentado chocolate? Não dá pra imaginar? Pois é… Na verdade esses lavradores estão preocupados em comer, qualquer coisa, pois muitos passam fome. Não deixe de ver o documentário abaixo:

O lado negro do Chocolate

E agora? O mundo está perdido? Existiria um chocolate produzido a partir de cacaus orgânicos, em um sistema equilibrado com a natureza, plantados por trabalhadores bem remunerados e com condições de trabalho dignas?  Já imaginou? Pois ele existe!

1655524_252126381625667_965196233_o

Produzido em Serra Grande, na Costa do Cacau, em uma pequena agrofloresta, o chocolate Tiwá, do tupi abundância, é vendido em Barras de 60%, 70% e 85% de cacau. Eles também fornecem nibs (amendoas) de cacau crú. O cacau é um super alimento riquíssimo e nutritivo, o que faz mal são os outros ingredientes utilizados na preparação dos chocolates que encontramos por aí. E o excesso, claro.

Ficou curioso? Quer experimentar? Entre no site deles e faça já sua encomenda! Não precisa esperar a próxima Páscoa!

Seja um chocolatra seletivo, verifique os ingredientes e a procedência do seu chocolate e coma sem culpa!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *