COR + AÇÃO

Caríssim@s,

Primeiramente, muito agradecida!

O apoio de cada um de vocês é o CorAção desse processo, dessa escolha, é a força pulsante que está nos possibilitando algo que eu nem sei mensurar e expor em forma de palavras.

Exatamente isso… Há 59 dias minha rotina compreendia em torno de 8/9 horas por dia diante de uma tela de computador, envolta em relatórios, planejamentos ou algumas pesquisas de trabalho e … Em busca de trabalho.

De repente, essa rotina passa a ser o avesso, carrego o computador comigo, mas o envolvimento no trabalho voluntário na Ecoaldeia, em meio a muitas moscas durante o dia e uma densa nuvem de supermuriçocas à noite, simplesmente me colocou noutra rotina que instantaneamente não conseguia mais ficar sentada, mesmo que por pouco tempo. Eram cuidados com a horta, com o cavalo, com a preparação de almoços coletivos, um sobe e desce na areia, para cá e pra lá… E as crianças brincando, as crianças solicitando… Cadê as palavras, cadê o registro das vivências?

Tudo intenso, tudo sem palavras, só sensações, emoções, muita alegria, muito entusiasmo. Também momentos de dúvidas, aflições, reconexões… Nada em palavras. Mas… Há registros visuais, audiovisuais, porém, principalmente, o registro é o da emoção que a memória capta, captou, está captando.

No entanto, carrego constante desejo de trazer à vocês, meu agradecimento, em forma de prestação de contas, desejo que gostaria vir realizando a cada final de ciclo, mas o que consigo é isso aqui agora, após 2 ciclos:

ciclo I – Ecoaldeia Flecha da Mata, Canoa Quebrada, Aracati-CE. Finalizado no dia 11 de agosto de 2015. 27 dias

álbum de fotos

ciclo II – coletivo Núcleo de Pesquisa e Expressão de 8 Baixos, Crato, sertão do Cariri-CE. Interrompido em 27 de agosto. 12 dias
álbum de fotos

pausa – Salvador-BA. A finalizar hoje, 11 de setembro. 15 dias.
álbum de fotos

ciclo III – Comunidade de famílias – Aldeia, Rio de Contas, Itacaré-BA. Amanhã vamos pegar o ônibus para Ilhéus, passaremos o sábado com a família de Petúnia, uma amiga do Rio, que não encontro há anos, eis que nos redescobrimos no caminho da vida, ela está morando em Serra Grande, nos receberá no sábado. Domingo pegaremos o barco que faz travessia pelo rio e nos leva até a Aldeia. Estou tensa, aflição pelo novo, me acalmarei quando o barco atravessar o rio e eu começar a puxar as malas pela areia, por uns 10 minutos, conforme me avisaram, não vejo a hora de começar a arrastar essas benditas malas.

Vem cá dar uma olhadinha no que vem pela frente…

Há muito que posso vir a escrever sobre cada um dos dias até aqui, cada ciclo, cada vivência, muitas pessoas.

Mas, nesta primeira carta, nesse primeiro registro quero fazer uma breve prestação de contas, recebi muitos apoios, há os apoios financeiros, tanto via cartão de crédito quanto alguns via depósito direto e ainda inesperadíssimos feitos pelos encontros no caminho, sério, pessoas que se emocionam, que se encantam e nos presenteiam com apoio financeiro e/ou logístico.

Porém, quero falar também sobre Destino Sustentável, este blog que nos acolhe, trata-se de um “projeto-mestre” no qual estamos aqui acolhidas, sincronizadas numa história que nem sabíamos, já começou há alguns anos desde que brevemente estivemos juntas, por um curto período, para agora nos reencontrarmos assim, desta forma… Kamala, jovem mãe de um menino de 12 anos, nos orienta nesse processo e por isso estamos fortalecendo o mesmo espaço, somando e ampliando, a partir deste ambiente, sem precisar criar nada além, já está, dadivoso Destino. Por isso, aqui converge e daqui irradia os registros do nosso projeto Lua Nova

Kamala, que a gente possa se abraçar em breve!

E assim vamos:

Sobre os apoios via plataforma Unlock/MoIP: cada vez que a plataforma confirma autorização de um apoio, este fica a compensar por 14 dias, somente após, posso solicitar transferência bancária para minha conta no BB.

Segue link com extrato das compensações e saques via plataforma Unlock/MoIP

Sobre os apoios diretos, via depósito bancário ou “em mãos”: estou recebendo 2 apoios recorrentes via conta bancária e recebi 4 apoios em “cota única”, tudo totalizou o maravilhoso valor de R$ 890,00; isso é muito incrível, porque eu acreditava que receberia apoio, mas não tinha a dimensão de como seria, não tinha a dimensão de que “minha ideia louca”, conforme pareceu há alguns, reverbera tão forte e solidária noutras pessoas.

Sobre apoios não-monetários: já falei um pouco da superorientação e acolhimento que estamos recebendo da Kamala, no que concerne à desescolarização, há um custo técnico quando ela retira um tempo para nos orientar, vai muito além, pois ela que vem me orientando desde o início no processo de construção do projeto, como um todo, desde a busca por sua viabilidade financeira via financiamento solidário. Mas aqui neste curto espaço quero citar minhas amigas que me hospedaram com total generosidade, amiga de infância lá em Fortaleza. Aqui em Salvador, amigona de faculdade. E elas ainda não acham/dizem que não estão exatamente me ajudando! Também os amigos que me emprestaram equipamentos, pois não consegui recursos para câmeras, mas um amigo e outra amiga me emprestaram seus equipamentos, empréstimos de materiais de acampamento etc…uma infinidade de formas de apoio estamos recebendo, muita gratidão. Enfim, faltam poucos minutos para partida para CICLO III, volto logo e escreverei maisebendo 

Eu sempre pensava em temas, em abordagens que poderia tomar para conversar com vocês, fui amadurecendo o que escrever; por fim, o que mais me pareceu importante, nesse primeiro diálogo, foi trazer estes dados. É muito precioso para mim, conversar com vocês sobre isso, sobre esse tema que aflige muitas pessoas, cotidianamente, dinheiro, certeza, garantias, desconfiança, pressão, economia, corrupção, medos, individualismo, escolhas.

Eu quero dizer a cada um que vocês, em totalidade, não se conhecem mutuamente, alguns conhecem uns, outros não; mas todos juntos fazem parte de uma teia solidária, que transforma vidas; uma rede de generosidade que desafia o senso comum que muitas vezes repete que a Humanidade é um projeto perdido, que somos um caso perdido, uma multidão de individualistas, etc...Não somos, estamos todos de alguma forma conectados, cada um ao seu modo, cada um em sua cultura, mas todos desejam e agem em busca de uma Humanidade cada vez melhor, muitos de vocês, eu já sei que não se perdem em TVs/sites e notícias alarmistas de um mundo cruel, violento … Não somos isso, não nos deixemos acreditar num mundo somente cinza, pois vocês são os pintores, mantenhamos as mãos carregadas de todas cores, usemos todas as tintas.

Vocês pintaram a minha vida de um colorido incrível, estão me ajudando a caminhar por tantas paisagens, as mais diversas possíveis.

Hoje estou feliz, hoje, nesse dia de hoje, nas últimas 8 horas…pois, precisava andar por Salvador, encontrar uma pequena peça (rara), por ruas desconhecidas, ruas tão antigas, sujas, abandonadas de cor; mas, cheias de gente, tinha a certeza que mesmo que um ou outro dissesse “é perigoso”, eu me disse “mas confio nas “gentes”, as mais trabalhadoras, perdidas, afoitas, tranquilas, vagabundas, as mais diversas possíveis; estão espalhadas por essas ruas, por todas as ruas e vão me ajudar; vou andar até meu destino e elas vão me ajudar.

Essa vivência de enfrentar as ruas escuras vem dos meus tempos no Rio de Janeiro, de pegar ônibus, de ter que ir onde tiver que ir e ter que ser de ônibus, a pé, andar, andar, subir, descer, pegar à direta, depois esquerda e levar as minhas filhas e mostrar que mesmo nos lugares mais cinzas, só há gente, gente querendo chegar a um lugar também, colorido.

Olha, acho que é isso, essa “escola-experiência” que estou proporcionando às minhas filhas é vir a ser gente, apenas gente, gente como todas as gentes de todo mundo, de qualquer mundo, em qualquer mata ou rua cinzenta. Saber lidar com as cobras, moscas e muriçocas, assim como derreter os medos de gente, perguntar, resolver, vivenciar…viver.

Gratidão.

Um gigante abraço que envolva todos vocês agora, cada em seu lugar, em seu cidade, em sua casa, em sua família, ao mesmo tempo juntos.

CORAÇÃO

COR + AÇÃO

Neguinha, Nega, Juma, Xanda, Ale, Lê…Alexandra Ferreira Pedroso.

projeto LUA NOVA :: do Nada ao Todo

O projeto continua em busca de apoio via Unlock, preciso editar vídeos e imagens, viabilizar equipamentos, softwares, estes apoios podem ser monetários ou através de indicação de alguém que possa disponibilizar horas-técnicas ou orientações para que eu mesma faça, etc. Peço me ajudarem a divulgar mais. Também preciso de mais orientações sobre a Clonlara e outras formas de unschooling. Abraços.

Lua Cheia em Salvador

  • author's avatar

    By: Alexandra Ferreira Pedroso

    Durante as Luas Novas de julho a dezembro de 2015…junto às minhas filhas, vivenciamos um processo de aprendizagem ativa*, de modo itinerante, em programas de voluntariado em comunidades e ou projetos permaculturais.
    Agora, estamos vivendo as transformações que esse processo agregou à nossa vida, as meninas voltaram para escola, mas uma escola beeem diferente e eu, quanto mais vivencio menos sei, apenas vivencio cada dia, agora morando numa gigante pequena cidade, Alto Paraíso de Goiás!

  • author's avatar

    Visit the author’s website

  • author's avatar

    RESPOSTA do TEMPO

    See all this author’s posts

2 thoughts on “COR + AÇÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *