Couchsurfing

Como já comentei aqui o couchsurfing é uma das melhores opções pra se hospedar sem custo, quando você não tem um amigo na cidade. Essa é uma das alternativas que pretendemos usar na viagem, por isso decidi testar como anfitriã! Apresento a vocês Julien e Natália, meus primeiros couchsurfers! Ele é francês e iniciou sua viagem em setembro de 2010, usando somente carona para o transporte e couchsurfing para hospedagem, porque acredita que essa é uma das melhores formas de conhecer as pessoas e os lugares. Atravessou o Atlântico em um veleiro, visitou o Caribe e chegou ao continente Americano pela Flórida. Depois foi para o Alaska e desceu as Américas até a Antartida…
Na passagem por Valparaíso Julien foi hospedado por Natália, que por sua vez já havia dado umas voltinhas pelo globo. Papo vai, papo vem, Julien foi e os papos continuaram pela internet até que Naty foi encontrá-lo em Ushuaia e seguiram juntos desde então. Os dois são viajantes ambiciosos e seu roteiro é só de ida. Passarão mais alguns meses no Brasil e depois seguem de carona (de veleiro) até a Nova Zelândia, de onde vão para a Austrália passar um tempo trabalhando para financiar a próxima viagem. Se eles conseguem, por que você não? Sim amigos, é possível, basta querer! Para saber mais sobre a aventura desse casal sigam a página da Ruta Pachamama no Facebook.

Como viajar sem dinheiro: Hospedagem

Todo mundo me pergunta como vou financiar a viagem, se eu consegui algum patrocínio, se eu tenho dinheiro guardado, enfim…. A resposta é não! Mas quem disse que precisamos de muito dinheiro pra viajar? Vocês já devem ter ouvido falar no projeto Open Doors,  da Aline Campbel, não? Em breve falarei mais sobre a viagem dela, mas vocês podem conhecer o projeto clicando no nome dela ali em cima. Resumindo: ela passou 3 meses na Europa sem dinheiro nenhum, por opção. Sim, é verdade, eu conheço ela. Mas como assim? Como viajar sem dinheiro? Para esclarecer essas dúvidas farei uma série de artigos sobre o tema, com links para vocês aprofundarem a pesquisa por conta própria, começando pela hospedagem. Temos diversas possibilidades, descreverei as que eu vou usar, por ordem da minha preferência.
Casa de amigos: tenho amigos espalhados pelo Brasil inteiro! Amigos de outros tempos, de outros carnavais, de outras viagens, mas amigo de verdade é igual família, podemos passar anos sem nos ver que continua tudo igual! É uma opção super econômica e a minha preferida, porque ainda dá pra matar a saudade! Eu sei que nem todo mundo tem  amigos pelo Brasil inteiro, mas a boa notícia é que amigos de amigos tem uma forte probabilidade de serem nossos amigos também! E muitas vezes nos recebem sem nem mesmo nos conhecer! Mas se essa também não é uma opção pra você, passe pra próxima.

Couchsurfing: se ainda não conhece, não sabe o que está perdendo! A tradução literal do inglês é: surfando no sofá. É uma plataforma de serviço de hospitalidade, onde você pode se cadastrar para receber pessoas na sua casa e/ou solicitar um “sofá” na casa de alguém. O Slogan do projeto é: “Participação na criação de um mundo melhor, um sofá de cada vez”. O objetivo não é apenas oferecer ou conseguir um lugar para ficar, mas estabelecer relações, promover trocar culturais, fazer do mundo um lugar melhor abrindo nossas portas, nossas vidas, nossos corações.
HelpX: é um programa de voluntariado, presente em quase todos os países do mundo, onde você troca trabalho (geralmente 4 ou 5 horas por dia) por hospedagem, alimentação e aprendizado. As possibilidades de hospedagem são bem variadas. São oferecidas oportunidades tanto em fazendas orgânicas quanto não orgânicas (não sei porque alguém iria pra uma fazenda não orgânica podendo ir pra uma orgânica, mas tem gosto pra tudo, né?), casas de família, pousadas, B & Bs, albergues e barcos! Sim, barcos! Sempre trocando trabalho por alojamento e comida. Existe uma opção de cadastro gratuito, mas é o cadastro premium, que custa 20 euros e vale por dois anos, que dá acesso a todas as opções do site.
WWOOF (World Wide Opportunites on Organic Farms) Rede Mundial de Oportunidades em Fazendas Orgânicas: Bastante semelhante ao HelpX, mas exclusivo para fazendas orgânicas, o programa  foi criado em 1971, na Inglaterra, por Sue Coppard, que queria dar aos seus colegas que moravam na cidade a oportunidade de conhecer a vida no meio rural. O objetivo da rede é promover os ideais de ecologismo e vida saudável (o nosso também!), através do intercâmbio cultural. Para ter acesso ao contato dos hospedeiros você tem que pagar uma taxa anual para se cadastrar na rede, o único “inconveniente” do programa é que você tem que fazer um cadastro (e pagar a taxa…) por país.
E aí, já conhecia? Gostou da informações? Acha que é possível viajar sem dinheiro? Deixe-nos um comentário! E se você conhece alguma outra forma de se hospedar gratuitamente compartilhe conosco! Desejo que vocês se inspirem e realizem ótimas viagens!

Feira de Trocas: todo mundo ganha!

Feiras de trocas são um dos ambientes mais dinâmicos e estimulantes da economia criativa. Adoro ver o sorriso no rosto de alguém que encontra algo que estava precisando ou que simplesmente lhe serve perfeitamente! Me divirto vendo a mulherada enlouquecendo na troca de roupas! Mas o que eu mais curto mesmo são as trocas subjetivas: conhecer pessoas, tecer redes, quem sabe fazer parcerias… São muito potentes esses encontros que contornam a lógica do capital numa curva suave onde os momentos vividos são mais importantes que os objetos trocados! Nos últimos meses visitei feiras em diversos formatos, compartilharei alguns aqui, quem sabe assim vocês não se animam e organizam uma também!
A feira de trocas da REGES (Rede Gaiana de Economia Solidária), que está suspensa temporariamente, é uma ação entre amigos, mas aberta ao público, que se caracteriza como uma feira de trocas e dádivas. As trocas são realizadas entre os participantes e podem ser feitas diretamente, um objeto por outro, ou por intermédio de uma moeda própria, o ELO,  cujo valor é estabelecido no ato da troca, entre os interessados. Em alguns casos não há interesse na troca, nem elos, mas a pessoa que tem o objeto de interesse do outro pode oferecer-lhe como uma dádiva. Eles também tem uma proposta muito interessante  de elaborar um cadastro de serviços que podem ser negociados e trocados (diretamente ou por elos) a qualquer momento, independente da feira.Cheguei a primeira vez na feira sem nada, para conhecer. Fiz meu cadastro, ofereci meus serviços e fiquei um tempo por lá. Acabei ganhando alguns elos por isso! Na REGES sewu tempo de presença vale ELOS! Conheci pessoas interessantíssimas, algumas das quais fazem parte (e parte importante!) da minha vida hoje e ainda saí de lá com um belo casaquinho! E bem feliz!

Outra muito legal é a feira do desapego, realizada pela Camila Leal, que funciona assim: você leva quantos objetos quiser (roupas, livros, cds, dvds, entre outros), troca o número de objetos pelo mesmo número de “desapegos” (a moeda da feira) e depois troca cada desapego por um objeto a sua escolha! Fiquei bem feliz nessa feira! Troquei uma coleção de DVD’s que eu já curti muito, assisti muitas vezes, mas não fazem mais sentido na minha vida hoje, por vários motivos: não os assisto mais, isso já seria motivo suficiente para encaminhá-los para alguém que ainda não assistiu, mas tem mais! Não vejo necessidade do objeto DVD há alguns anos, hoje carregamos dezenas de filmes em objetos bem menores do que UM DVD. E quero ficar bem leve para viajar, não apenas para não carregar uma bagagem muito grande, mas também pra não deixar uma “âncora” muito pesada pra trás. Estou me desfazendo de tudo que não é imprescindível para mim… Ganhei onze “desapegos”que troquei por algumas roupas bem legais que tenho usado bastante e alguns objetos novos para presentes de fim de ano. Sobraram desapegos. Desapeguei!

E pra fechar não poderia deixar de falar da Feira Grátis da Gratidão cujo lema é “traga o que quiser, ou nada, e pegue o que quiser, ou nada”! Boa para quando se quer desapegar mesmo, sem nenhuma expectativa de retorno. Excelente para as trocas humanas! Muito interessante e agregadora, possibilita o acesso de qualquer pessoa, de todas as classes sociais, de igual pra igual, de verdade. Algumas pessoas oferecem serviços gratuitos como manicure, meditação, massagem, atividades com as crianças, entre outros. No Rio de Janeiro é atualmente organizada pela Júlia Horowicz, mas está transitando para uma gestão colaborativa e já acontecem feiras organizadas por outras pessoas, tanto no Rio, quanto em outras cidades do Brasil. Pesquisando no Facebook vocês podem descobrir se há uma feira na sua cidade e se não houver podem se voluntariar para organizar uma! Fui em duas até agora, me desfiz de duas malas de roupas e peguei só um porta-guardanapos, um objeto que sempre senti falta lá em casa. Sorrio todas as vezes que olho pra ele! Saibam mais no Blog da Feira Grátis do Rio de Janeiro ou na página do Facebook.

    Gostou das possibilidades? Está esperando o quê? Crie, invente, faça uma feira de trocas diferente! As possibilidades são muitas e só há uma “regra” importante: todo mundo ganha!

Destino Sustentável

Cansei.
Cansei da poluição que ensurdece ouvidos, entope nariz e poros, lacrimeja olhos.
Cansei de lutar contra minha natureza, consentindo nessa escravidão voluntária.
Cansei de ver meu filho reclamando todo dia do nosso sistema de educação.
Cansei da incongruência gritante do modo de vida contemporâneo.
Cansei de perder o sono pra pensar na sobrevivência.
Cansei de reclamar de tudo e não fazer nada!
Cansei.
Eu quero viver!
Em 2014 eu e meu filho Kaiuá partiremos em uma jornada rumo ao Destino Sustentável.
Mais que uma pesquisa, o Destino Sustentável é uma busca pessoal por práticas e comportamentos que representem a transição para o novo paradigma. Nosso objetivo é estudar, registrar e divulgar modos de existência que busquem alternativas viáveis e sustentáveis ao modo de viver predominante na sociedade contemporânea. Isso inclui buscar uma forma mais integrada e exclusiva de educação. Aprender vivendo! Buscamos reescrever a nossa história e ajudar muitas pessoas a descobrirem essa revolução invisível que já está acontecendo.
Para tanto pretendemos conhecer as principais Ecovilas, Institutos de Permacultura, Escolas Inovadoras e outras iniciativas inovadoras em uma expedição por todo o Brasil, durante o período de um ano iniciando-se em 19 de março. Durante a viagem faremos registros em texto, fotografia, audio e vídeo que serão divulgados nesse blog, em redes sociais e em pequenos trailers na internet, tudo gratuitamente.
Acreditamos no poder da força coletiva e da atuação colaborativa na realização de projetos  e concretização de sonhos transformadores. Para que o Destino Sustentável seja um grande sucesso nós contamos com você! Em breve mais notícias!